ALUNOS GERAÇÃO Z: SAIBA AS 8 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DESTE PERFIL!

A geração Z é composta por estudantes que nasceram entre 1995 e 2010, sendo, portanto, verdadeiros nativos digitais. Eles são indivíduos completamente distintos da geração anterior e exigem, por conta disso, uma abordagem educativa diferenciada e moderna.

Em geral, esses jovens são familiarizados e dominam as principais ferramentas tecnológicas, tendo vasta experiência no mundo virtual. Por isso, é essencial que as escolas se adaptem a esse perfil e ofereçam um processo de aprendizagem significativo e motivador.

Neste artigo, você vai entender de vez quais são as principais características dos alunos geração Z e quais as abordagens mais adequadas para esse público. Confira!

Quais são as características da geração Z?
A geração Z é caracterizada por jovens, antenados, descolados, proativos e autodidatas, que contam com um estilo de vida próprio. Ao contrário da geração anterior, os chamados millennials, a geração Z cresceu integrada à internet e à tecnologia, tendo acesso a uma grande quantidade de informações.

Com isso, os alunos da geração Z são muitas vezes considerados hiperconectados, justamente por terem nascido em um contexto de transformação digital. Assim, eles contam com um perfil diferenciado e crítico, apresentando mente aberta para novas experiências e aprendizados.

A geração Z, portanto, foi a primeira adepta do letramento digital, utilizando memes e emojis para expressar seus sentimentos e opiniões. Na escola, essa geração apresenta algumas características que acabaram trazendo inúmeras mudanças no formato e na metodologia de ensino. Veja, a seguir, quais são as principais.

São nativos digitais
Os alunos geração Z são verdadeiros nativos digitais, pois cresceram no auge da era tecnológica. Esses jovens estão quase sempre conectados à internet e apreciam a criatividade e a inovação, tendo bastante facilidade com plataformas de ensino online.

Expõem suas opiniões com assertividade
A geração Z também tem mais facilidade em expor suas opiniões com assertividade, sendo altamente críticos e pragmáticos. Assim, os jovens têm a tendência de buscar por diferentes meios para atingir e conquistar seus objetivos, por meio do desenvolvimento de habilidades, como o pensamento lógico e matemático.

São flexíveis em relação à carreira
Outra marca da geração Z é que os alunos acabam não se prendendo tanto à obrigação de ter uma profissão estabelecida e buscam por diferentes caminhos de ascensão profissional. Isso porque, tendo acesso constante à internet e à tecnologia, os jovens não sentem necessidade de se definir ou de ter rótulos, o que torna as possibilidades de trabalho mais amplas e fluidas.

Aprendem rapidamente
Outra característica que marca a geração Z é a facilidade em aprender rapidamente os mais diferentes tipos de conhecimentos. Por serem bem adaptados à tecnologia e suas ferramentas, os jovens contam com uma série de opções para se instruir, desde sites de pesquisa e redes sociais até cursos e plataformas de aprendizagem online.

Como educar alunos da geração Z?
Tendo em vista as notáveis características da geração Z, as escolas precisam se adaptar o quanto antes para conseguir atender às demandas e necessidades desse público. Em geral, os jovens acabam tendo melhores resultados com os novos recursos de ensino e podem se tornar mais motivados para conquistar o que desejam.

O papel da tecnologia nas instituições escolares é um fator de extrema relevância para a aprendizagem e para a melhora do desempenho. O primeiro passo, portanto, é que as aulas e atividades estejam em consonância com a transformação digital e com inovações que chamam a atenção dessa geração.

É fundamental que os professores saibam utilizar da melhor forma as ferramentas virtuais para ter uma boa resposta da geração Z. Confira abaixo mais dicas sobre o assunto.

Favoreça o protagonismo dos alunos
Os alunos que têm familiaridade com a tecnologia contam com um senso crítico mais apurado e tendem a emitir suas opiniões de forma livre e espontânea. Por isso, é essencial que a escola invista no protagonismo em sala de aula para que os estudantes se sintam mais a vontade para se comunicar e expressar suas ideias.

Ao contrário da educação tradicional, que tem o professor como o detentor do conhecimento, nesse caso é importante que os jovens tenham um espaço seguro para falar e dialogar com os professores. Adotar metodologias ativas de aprendizagem, por exemplo, pode auxiliar e favorecer significativamente a autonomia.

Invista em uma didática social
Adotar modelos e formatos que priorizam uma didática mais social e acessível também pode possibilitar um ambiente de ensino mais acolhedor e integrado às necessidades dos alunos.

Para isso, a instituição escolar deve optar por abordagens mais amplas, que sejam de fácil entendimento e que ofereçam conhecimentos diferenciados e atrativos.

As diversas tecnologias, por exemplo, podem tornar a apreensão dos conteúdos mais interessante. Atualmente, muitos educadores têm utilizado recursos da gamificação, como jogos digitais, para transmitir os conhecimentos e melhorar o desempenho em sala de aula.

Use a tecnologia
A tecnologia, com ferramentas de inteligência artificial e robótica, pode aumentar o engajamento e a motivação nas aulas. O uso de plataformas de aprendizagem virtual também é uma boa escolha para as escolas que desejam se modernizar e ter melhores resultados no ensino.

Como a geração Z é marcada pela utilização da tecnologia em seu cotidiano, os estudantes se sentem mais atraídos e propensos a aprender sobre os mais diferentes assuntos. O recurso ainda é capaz de agilizar alguns processos já comuns da educação tradicional, como a aplicação de testes e avaliações.

Estimule discussões em grupo
Como a geração Z é altamente comunicativa e tem facilidade em dialogar com pessoas de diversas faixas etárias, é importante que a escola estimule as discussões em grupo. É interessante trazer os temas e assuntos das disciplinas para que os alunos ampliem o conhecimento e consigam fazer conexões mais significativas para a sua realidade.

Todas as turmas podem se beneficiar das conversas em grupo. Inclusive, essa é uma maneira eficiente de fazer os jovens construírem ideias e trabalharem o pensamento crítico, entendendo que tudo pode ser relativo e que diferentes opiniões devem ser sempre consideradas.

Os alunos geração Z têm uma maneira própria de se relacionar com a aprendizagem e, por isso, é fundamental que as escolas transformem suas abordagens para atender a esse perfil. Os estudantes contam com bastante potencial para mudar também a própria educação, que pode se tornar mais adaptável e flexível diante das necessidades dos jovens.

Leave a Reply

× Como posso te ajudar?